sergio biagi gregorio home page
nível acima | página inicial | mapa do site | links | e-mail


Justiça e Injustiça

1. CONCEITO DE JUSTIÇA

Sentido Restrito - justiça é a constante e perpétua vontade de conceder o direito a si próprio e aos outros, segundo a igualdade. É virtude subjetiva, portanto.

Sentido Moral - significa o respeito que há em cada um de dar a cada um o que é seu (1).

2. VIRTUDES CARDEAIS

A justiça é uma das quatro virtudes cardeais. É o domínio da justiça que permite o equilíbrio da temperança, da fortaleza e da própria prudência (1).

3. ELEMENTOS INTEGRANTE DA JUSTIÇA

- capacidade de fazer o bem;

- dar o que é devido aos outros;

- hábito de evitar o mal que possa vir a ser feito aos outros.

4. CONCEITO DE INJUSTIÇA

É a falta de justiça.

5. CARACTERIZAÇÃO DA INJUSTIÇA

Calúnia, suborno, falsificações etc.

6. DECÁLOGO DA INJUSTIÇA

01 - Não se preocupar com o problema social.

02 - Guardar para si o supérfluo.

03 - Não tomar conhecimento das causas dos males humanos.

04 - Ridicularizar os que se dedicam a esses problemas.

05 - Explorar a miséria e a necessidade alheias.

06 - Custar a pagar o que se deve ou nunca pagar.

07 - Guardar por muito tempo ou mesmo esquecer de devolver objetos emprestados.

08 - Por medo, timidez ou orgulho calar-se em vez de dizer a verdade.

09 - Atribuir às leis econômicas os males, devido à própria incúria ou ambição.

10 - Considerar como definitivos todos os privilégios; defendê-los, mesmo em detrimento da justiça (2).

7. LEI NATURAL

O sentimento de justiça é natural ou resulta de idéias adquiridas? É tão natural que nos revoltamos ante uma injustiça.

O progresso moral desenvolve a justiça, mas não a cria. Por isso, muitas vezes, entre os homens simples e primitivos encontramos noções mais exatas de justiça do que entre os de muito saber. Ver pergunta 873 de O Livro dos Espíritos, de Allan Kardec.

8. DIREITOS

A Justiça consiste no respeito aos direitos de cada um. Esses direitos são determinados pela lei humana e pela lei natural. Como os homens fizeram leis apropriadas aos seus costumes e ao seu caráter, essas leis estabeleceram direitos que podem variar com o progresso (3).

9. A BASE DA JUSTIÇA

Fora do direito consagrado pela lei humana, qual a base da justiça fundada sobre a lei natural? O critério da verdadeira justiça é de fato o de se querer para os outros aquilo que se quer para si mesmo, e não de querer para si o que se deseja para os outros.

Como não é natural que se queira o próprio mal, se tomarmos o desejo pessoal por norma ou ponto de partida, podemos estar certos de jamais desejar para o próximo senão o bem. Ver pergunta 876 de O Livro dos Espíritos, de Allan Kardec.

10. LEI DE JUSTIÇA, AMOR E CARIDADE

O Espiritismo mostra-nos que a lei de Justiça, Amor e Caridade é a mais importante dentre as leis naturais, porque resume todas as demais.

Empenhemo-nos, pois, na prática da justiça e do amor ao próximo.

 

JUSTIÇA, INJUSTIÇA E ESPIRITISMO

 

Justiça é a constante e perpétua vontade de conceder o direito a si próprio e aos outros, segundo a igualdade. é virtude subjetiva, portanto. No sentido moral, significa o respeito que há em cada um de dar a cada um o que é seu. Injustiça é a  falta de justiça.

A justiça é uma das quatro virtudes cardeais. É ela que permite o equilíbrio da temperança, da fortaleza e da própria prudência. A capacidade de fazer o bem, o hábito de evitar o mal e de dar o que é devido aos outros são os seus elementos integrantes. Tem, ainda, como implicações coadjuvantes o respeito à igualdade, a veracidade, a gratidão e a equidade.

A injustiça caracteriza-se pela calúnia, pelo suborno e pelas falsificações. Mais  especificamente: por não nos preocuparmos com o problema social; guardarmos para  nós  o supérfluo;  explorarmos a miséria alheia;  esquecermo-nos de devolver objetos  emprestados; calarmo-nos, quando deveríamos dizer a verdade; atribuirmos às leis econômicas os males devidos à nossa própria incúria.

Allan  Kardec, em O Livro dos Espíritos,  mostra-nos que o sentimento de justiça é natural e não resulta de idéias adquiridas. Por isso, muitas vezes, entre os homens simples  e primitivos encontramos noções mais exatas de justiça do que entre os de muito saber. Além disso, como misturam-se paixões ao julgamento, acabamos alterando esse sentimento e fazendo as coisas serem vistas sob um falso ponto de vista.

O direito consagrado pela lei humana assegura parte da justiça. No que concerne à lei natural, a base da  justiça está assentada na lei áurea deixada por Jesus: "Querer para os outros aquilo que se quer para si mesmo e não querer para si o que se deseja para os outros". Explica-se: como não desejamos o mal para nós mesmos, deduz-se que devemos desejar somente o bem para o próximo.

Respeitemos o direito dos outros. Se cada um agir dessa forma, em mais tempo ou  em menos tempo, assistiremos à implantação da verdadeira fraternidade universal.

QUESTÕES

1) Qual o conceito de justiça?

2) O que caracteriza a injustiça?

3) O que são as virtudes cardeais? Por que essa denominação?

4) Qual a base em que se estriba a justiça?

5) Quais são os itens do decálogo da injustiça?

TEMAS PARA DEBATE

1) O sentimento de injustiça é natural ou resulta de idéias adquiridas?

2) Dentre as leis naturais, qual a mais importante? Por que?

3) Justiça humana e justiça divina.

4) Justiça, injustiça e Espiritismo

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

(1) SANTOS, M. F. dos.  Dicionário de Filosofia e Ciências Culturais.

(2) LONGHI, A. J.  Livro dos Decálogos.

(3) KARDEC, A.  O Livro dos Espíritos.

São Paulo, dezembro de 1996.

28.ª Aula do Curso de Introdução à Filosofia Espírita: http://www.sergiobiagigregorio.com.br/apostila/introducao-filosofia-espirita.htm

Aprenda Online: Relação de Cursos 24 Horas

Visite o site do Clube de Autores
e folheie o livro Leis Divinas ou Naturais,
por Sérgio Biagi Gregório




mapa do site | página inicial | pesquisa no site